sexta-feira, 16 de julho de 2010

O papel da nutricionista na vida do corredor

Amigos! Segue entrevista que respondi para a jornalista Yara Achôa sobre o papel da Nutrição no esporte.

PAUTA: o papel da nutricionista na vida do corredor


• Nome: Diego Ciarrocchi


• Idade: 27 anos


• Profissão: Analista de Projetos de TI


• Há quanto tempo corre? 5 anos. Desde Maio de 2005


• Treina quantas vezes por semana? 6 vezes por semana


• Treina para ter qualidade de vida ou performance? Para as duas coisas, porém a qualidade de vida é o principal objetivo, a performance vem como consequência.


• Você se considera um corredor iniciante, intermediário ou avançado? Depende do ponto de vista rsrs. Creio que avançado, já participei de mais de 100 provas, algumas como Elite.


• Seus desafios estão mais próximos de provas de 10K; distâncias intermediárias como Meia Maratona; ou Maratonas e Ultras? Maratonas e o Ironman (3,8km Natação, 180 bike e 42km Corrida).


• Tem acompanhamento nutricional? Acha importante ter? Por que? Acho importante todo corredor ter um acompanhamento multidisciplinar, treinos, nutrição, exames médicos, psicólogos. Já que iremos investir tempo e dinheiro no esporte devemos fazer o melhor. Especificamente com a nutrição, vi que meu desempenho melhorou muito após o início das consultas. Por muito tempo foquei esforço somente nos treinamentos e não dei a devida atenção para a alimentação, que como comprovam alguns estudos é tão ou mais importante do que os treinos. O acompanhamento nutricional é importante não somente para o corredor, mas para todos que buscam qualidade de vida.


• Acredita que a orientação nutricional possa fazer sua performance melhorar? Com certeza, meus tempos diminuíram bastante depois que comecei o acompanhamento, o tempo de recuperação também diminuiu. Reflexo de uma alimentação balanceada e adequada as minhas necessidades. Deixei de “treinar para comer” e passei a “comer pra treinar”. Muitas vezes eu treinava e depois comia muito mais que o necessário pensando que já tinha gasto as calorias, porém as calorias gastas num treino não refletem o alto consumo calórico de uma refeição num fast food por exemplo.


• Se tem nutricionista, com que freqüência a consulta? O que mudou na sua vida de corredor após procurar esse profissional? Faço acompanhamento a cada dois meses, a consulta ajuda para medir as evoluções, traçar novas metas para peso, massa magra, percentual de gordura e montar um planejamento para uma prova específica. Principalmente as provas mais longas exigem atenção especial da hidratação e alimentação antes, durante e depois da prova.


O que mudou creio que não foi somente na vida de corredor, mas sim no estilo de vida. A alimentação saudável e balanceada acaba interferindo também em outras áreas na minha vida, como no trabalho e nos relacionamentos. As pessoas mais próximas acabam também entrando no ritmo e adotam uma postura diferente na alimentação. Claro que no trabalho acham engraçado na minha mesa ter três frutas, aveia, barra de cereal e 2 litros de água. Vejo que a constância é a palavra chave na alimentação, claro que algumas exceções podem e devem acontecer, mas se você não arruma tempo e disciplina pra sua saúde, terá que arrumar pra sua doença.


• Se não tem nutricionista, como cuida da alimentação? “Consulta” amigos, procura informações em sites e revistas ou simplesmente faz o que acha certo? Mesmo com o acompanhamento acho válida a busca de informações com amigos, sites, revistas, etc. Devemos apenas ficar atentos para ver o que serve para nossas necessidades, a regra de o que vale para seu amigo pode não valer pra você também serve para a nutrição.


• Toma algum suplemento por conta própria? Não, todos os suplementos que uso são com orientação da minha nutricionista, tomar por conta pode se tornar até arriscado para a saúde e ter efeito contrário do desejado.